Pequenos investidores financiam as grandes empresas

As condições de financiamento que, actualmente, as empresas têm junto do sector bancário levaram a uma mudança na estratégia de grandes empresas nas suas opções de endividamento.

Efectivamente, desde a década de 90 que, tradicionalmente, as empresas financiavam-se predominantemente junto do sector bancário. Não obstante existirem outras formas de financiamento, quer seja via capital alheio, quer seja via capital próprio, as empresas enveredaram, maioritariamente, pelo recurso ao financiamento bancário, originando uma quase que total dependência deste sector para a prossecução da sua actividade.

Como é do conhecimento geral, actualmente, fruto da situação económica e financeira do País, também o sector bancário experiencia dificuldades no financiamento da sua actividade. Tal ocasiona um estrangulamento no financiamento da actividade das empresas que, agora, têm obrigatoriamente de encontrar outras fontes.

A colocação de dívida de médio prazo junto dos pequenos investidores foi a solução encontrada no passado mês de Dezembro de 2011 pela EDP – Energias de Portugal, SA, que lançou uma Oferta Pública de Subscrição de Obrigações destinada ao Público em Geral, em Portugal.

Não obstante a procura de obrigações ter superado em 38% a oferta, a EDP decidiu não rever o montante da emissão que foi de €200.000.000, representado por 200.000 Obrigações, de valor nominal de 1.000 euros cada com um prazo de 3 anos e uma taxa de juro fixa e igual a 6,00% ao ano (TANB). Estas obrigações foram admitidas à negociação na Euronext Lisbon no dia 7 de Dezembro de 2011.

Também a SEMAPA - Sociedade de Investimento e Gestão, SA, lançou uma Oferta Pública de Subscrição de Obrigações dirigida ao Público em Geral a decorrer entre os dias 1 a 27 de Março de 2012.

O montante inicial da emissão de €150.000.000 foi, em 19 de Março de 2012, aumentado para €300.000.000 representado por 300.000 Obrigações, de valor nominal de 1.000 euros cada com um prazo de 3 anos e uma taxa de juro fixa e igual a 6,85% ao ano (TANB). Prevê-se que estas obrigações sejam admitidas à negociação na Euronext Lisbon no próximo dia 30 de Março de 2012.

O recurso à colocação de obrigações junto do Público em geral por parte de empresas como a EDP e a Semapa não é caso único, visto que as sociedades desportivas de futebol utilizam essa forma de colocação já desde 2005. Com efeito, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD e o Futebol Clube do Porto, Futebol, SAD têm efectuado nos últimos anos Ofertas Públicas de obrigações destinadas ao Público em geral.

Face às dificuldades sentidas, poderá estar encontrada, assim, uma fonte alternativa de financiamento para as empresas Portuguesas.